Virtual Officer: a chave para as startups aderirem à LGPD

Virtual Officer: a chave para as startups aderirem à LGPD

Uma plataforma unificada que reúne privacidade, compliance e segurança para quem tem pouco tempo e recurso para montar um time de TI para a LGPD: conheça a solução que está mudando o mercado de infosec.

Ao mesmo tempo em que cria um ambiente de maior segurança e privacidade no uso de dados, a nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que vigorará no Brasil a partir de fevereiro de 2020, também pode soar como um desafio para as startups, ainda mais em um cenário em que poucos exemplos desta mudança são vistos – confira nosso artigo “85% das empresas ainda não estão prontas para a LGPD. O que fazer?”.

Isto porque a nova legislação demanda adaptações em modelos, práticas, sistemas e usos que, se não cumpridas, poderão render multas bem salgadas. Isto vale para todos, de micro a grandes empresários. Ninguém estará livre das sanções da LGPD, mas também não há motivo para pânico: ainda que sua empresa seja pequena ou iniciante, existe solução para adequá-la às novas exigências sem acabar com seu orçamento.

Estamos falando do Virtual Officer, solução que oferece a startups um combinado de sistema mais serviços para gerir a segurança da informação, de forma a atender a normas e regulamentações legais, além de proteger dados das startups e de seus clientes, parceiros e demais envolvidos em suas operações. Tudo de maneira prática, objetiva, especializada e economicamente viável.

COMO FUNCIONA O VIRTUAL OFFICER?

O próprio nome já entrega: o Virtual Officer funciona como um diretor virtual de conformidade, privacidade e segurança. Nós, do IT2S Group, o desenvolvemos para quem precisa iniciar ou melhorar a gestão de segurança da informação, mas, ao mesmo tempo, não dispõe de um orçamento gigantesco para isso. Falamos um pouco disso em nosso texto “3 Simples passos para iniciar a adequação à LGPD”.

Com um investimento mensal, pago como serviço e em valores que cabem no caixa das startups, o Virtual Officer oferece os serviços 360º em privacidade, compliance e segurança que só uma equipe multidisciplinar de especialistas com média de 10 anos de mercado, alicerçados por tecnologias de ponta, podem oferecer.

Desta forma, as startups podem obter todos os benefícios de uma gestão altamente especializada de segurança da informação, com a redução de custos e de burocracia trazida pela dispensa da contratação de profissionais experientes e da compra de tecnologias instaladas in house.

POR QUE MINHA STARTUP PRECISA DO VIRTUAL OFFICER?

A resposta é simples: ela precisa porque a LGPD está aí e será obrigatório atender a ela a partir do próximo ano. E, mesmo que não estivesse, segurança da informação, conformidade e privacidade de dados são uma exigência permanente do mercado.

Startups, muitas vezes, pecam por não dar a estes temas a importância que realmente merecem, e muito disso parte do erro comum que é achar que, por ser iniciante ou pequeno, seu negócio não tem dados relevantes para proteger.

 

, , , , , , , ,
WhatsApp chat