outubro 15, 2018 Leonardo Goldim

Meio trilhão de dólares: o rombo do cibercrime

Muitas vezes, a real importância de certas coisas só são demonstradas através dos números. Muito se comenta sobre como investir em segurança de dados e na prevenção contra possíveis ataques e desastres podem render grandes economias a uma empresa. Então aqui vai um valor de respeito: MEIO TRILHÃO DE DÓLARES.

Esse número altíssimo foi apontado em uma pesquisa da Aon, empresa internacional do ramo da segurança da informação. Cerca de US$ 550 bilhões foram perdidos em 2017 devido aos ataques de cibercriminosos.

No Brasil, a fatia deste prejuízo também é grande. Segundo informações divulgadas pelo estudo Cyber Security Insights, da Norton, em 2017 o Brasil ficou em segundo lugar no número de ciberataques sofridos, gerando perdas da ordem de US$ 22 bilhões. Só a China passou o Brasil no número de ataques recebidos.

O phishing é o tipo de ataque mais comum registrado no país, e os aparelhos celulares são o principal foco dos ataques. Para as empresas, dispositivos como celulares e tablets ainda são um ponto complicado nas políticas de proteção de dados. Segundo pesquisa da Kaspersky Lab, 51% das empresas concordam que o aumento do número de dispositivos usados em suas organizações faz com que o gerenciamento da segurança desses aparelhos seja mais difícil.

Questões como o uso de aparelhos próprios para o acesso a sistemas fechados das empresas, ou a pouca difusão de boas práticas no uso de dispositivos corporativos para fins pessoais ao navegar na internet, por exemplo, podem tornar vulneráveis os ambientes corporativos, especialmente aqueles que são acessados na nuvem. Hoje em dia, ataques ferozes ao sistema de uma empresa pode surgir de um simples email, cujo arquivo anexo é baixado por um funcionário desavisado.

O desafio atual das empresas é criar mecanismos de segurança para formar uma rede de segurança abrangente, equilibrando as necessidades e liberdade de acesso dos funcionários em seus dispositivos e as demandas da companhia para assegurar a proteção de suas informações. Em cima disso, as empresas precisam investir cada vez mais na conscientização dos colaboradores, criando uma cultura interna de proteção e responsabilidade com os dados, através de boas práticas.

Garantir a segurança dos dados e sistemas de uma empresa é um jogo de gato e rato com os cibercriminosos, que exige agilidade e atenção dos CIOs e CSOs – aliás, empresas que ainda não possuem profissionais focados na gestão de segurança, talvez seja hora de pensar nisso.

De qualquer forma, para garantir que as melhores estratégias sejam utilizadas, contar com o apoio de parceiros especializados em segurança é sempre um diferencial. Manter-se atualizado contra as ameaças nem sempre é um trabalho fácil, mas deixar de fazer isso pode ser a porta aberta para que sua empresa tenha surpresas desagradáveis – especialmente “no bolso”.

Leonardo Goldim, Diretor Executivo
IT2S Group BR | US

, , , , , ,
WhatsApp chat