novembro 6, 2018 Leonardo Goldim

Certificação CCSK na linha de frente da segurança da informação

A medida que a preocupação com a segurança em nuvem se torna uma prioridade cada vez maior nas empresas, especialistas em segurança em nuvem também aproveitam um momento de crescimento e valorização no mercado de trabalho. Um exemplo disso é a certificação Certificate of Cloud Security Knowledge (CCSK): uma pesquisa da Cloud Security Alliance (CSA) mostra que 40% profissionais com essa especialização tiveram influência direta no seu crescimento profissional, tanto em salário quanto em cargos e promoções.

Para quem não conhece, a certificação Certificate of Cloud Security Knowledge é uma avaliação que examina competências dos profissionais de cloud e é uma referência quando se trata de medir o grau de expertise dos profissionais de segurança na nuvem. Aliás, segundo a Certification Magazine (Certmag para os íntimos), uma das publicações mais respeitadas quando se fala de treinamentos e capacitações de TI, a CCSK é considerada a certificação mais valiosa de TI da atualidade.

De acordo com o estudo da CSA, realizado junto a diversos profissionais com CCSK no mundo, 20% deles trocaram de emprego no último ano. 15% deles, por sua vez, foram promovidos dentro das empresas, assumindo um papel mais assertivo dentro das ações de segurança digital de sua organização. Quanto à aumento de salário, 27% dos respondentes afirmaram que passaram a ganhar mais no último ano, com aumentos médios de 8% a 10%.

Certificações como CCSK e CISSP são diferenciais para quem quer se posicionar como um profissional de segurança digital em uma nova realidade tecnológica em que vivemos. A medida que mais empresas perdem o medo de se transformarem digitalmente e incorporam o uso da nuvem às suas operações, a segurança destes ambientes se torna uma prioridade. Para isso, profissionais especializados serão cada vez mais exigidos.

A demanda é evidente: conforme aponta um levantamento da Citrix junto a CIOs brasileiros, 17% das empresas pretendem investir pesado em segurança da informação nos próximos anos, e boa parte desse investimento terá foco em cloud.

Na América Latina, é crescente a quantidade de profissionais com essa certificação, o que mostra um grande potencial para quem resolver investir nessa qualificação – inclusive, fui o primeiro instrutor a trazer a certificação para a região. Apesar de ainda ser nova – a CCSK foi criada em 2010 – ela chegou para ficar, e quem estiver atento às oportunidades, tem boas chances de estar na linha de frente de um dos principais desafios da TI nos próximos anos.

Leonardo Goldim, Diretor Executivo
IT2S Group BR | US

, , , , , , , , ,
WhatsApp chat