5 passos para você escolher um fornecedor de soluções de LGPD

setembro 20, 2019 Daniel Niero

5 passos para você escolher um fornecedor de soluções de LGPD

Encontrar fornecedores de soluções para segurança da informação é fácil: difícil mesmo é saber identificar quais têm as qualificações necessárias para atender a sua demanda – ainda mais em tempo de preparação para LGPD e guerra diária ao cibercrime. No post de hoje, reunimos dicas para te ajudar nesta escolha.

Já falamos no post “Passo a passo para garantir conformidade com a LGPD”, sobre o quanto contar com um fornecedor terceirizado pode ajudar no processo de adequação das empresas à LGPD.

Claro que um dos segredos do sucesso desta parceria é a qualidade do terceirizado, e, por isso, trazemos hoje um passo a passo sobre o que levar em conta na hora de selecionar o parceiro ideal. Vamos lá:


#Primeiro passo – Confiança

A idoneidade de uma empresa é seu principal cartão de visita. Antes de escolher seu fornecedor para adequação à nova Lei Geral de Proteção de Dados, pesquise bastante sobre ele. Vale entrar no site, verificar opiniões de seus atuais clientes, conversar com outros empresários que possam conhecer este player e, é claro, jogar no Google – que, muitas vezes, consegue trazer até mesmo dados sobre eventuais processos nos quais a empresa ou seus sócios estejam envolvidos.

Fazer uma busca em sites como o Reclame Aqui e visitar fóruns online e redes sociais para se informar sobre o fornecedor também é bem válido.

Hoje em dia, a informação circula de forma ampla e não é difícil detectar boas e más notícias sobre qualquer assunto, pessoa ou empresa.

#Segundo passo – Entendimento

Definir a melhor solução de segurança para a sua empresa significa detectar, conhecer e entender quais são os pontos a serem trabalhados para proteger o seu ambiente de TI.

Um bom parceiro de cibersegurança tem este entendimento e o utilizará para fazer o assessment de segurança mais adequado, sugerindo os procedimentos, ferramentas e serviços mais adequados para cada necessidade (incluindo tudo o que tange à adequações da LGPD).

#Terceiro passo – Conhecimento

Verifique se o parceiro em potencial para sua empresa tem o mix esperado de habilidades e experiência para entregar as soluções propostas. Isso se chama multidisciplinaridade.

O terceirizado ideal deve dispor de uma equipe multidisciplinar com especializações complementares para garantir o atendimento de suas demandas de segurança da informação, conformidade, privacidade de dados, LGPD e todos os assuntos afins de ponta a ponta.

Este é um ponto que, muitas vezes, as empresas deixam passar na hora de escolher o fornecedor. Não caia nessa! Multidisciplinaridade, soma de capacidades complementares, especialização comprovada dos profissionais que prestarão os serviços, tudo isso é essencial para garantir a segurança de seus dados, sistemas, redes, usuários, clientes – enfim, do seu negócio como um todo.

#Quarto passo – Soluções

Depois de conferir as qualificações técnicas e estratégicas do seu futuro parceiro de cibersegurança, também é muito importante saber quais são as soluções com que ele trabalha para entregar o que promete.

Pode ser redundante, mas é fundamental: os parceiros do parceiro fazem grande diferença. Isto quer dizer que a carteira de fabricantes com que o terceirizado atua ajuda – e muito – a definir a qualidade de sua entrega final. Bons produtos + bons serviços + bons profissionais = chave do sucesso.

Por isso, além de receber as informações do fornecedor sobre as soluções de seu portfólio, faça também suas pesquisas sobre cada marca e produto. Verifique recomendações, avaliações, reclamações. Converse com outros empresários que já as utilizam, meça prós e contras. Tudo é importante no caminho da melhor tomada de decisão.

#Quinto passo – Processo, não um produto

Manter uma organização protegida contra ciberataques, ou contra violações que possam trazer prejuízos a ela e a seus clientes no âmbito de regulamentações como a LGPD, é algo contínuo. Ou seja, não se resolve com a simples aquisição de uma solução de cibersegurança.

Onde o terceirizado entra nisso? Na gestão de tudo, incluindo o auxílio na recomendação das soluções mais assertivas para cada caso, definição dos serviços necessários a cada etapa (diagnóstico, implantação, suporte, monitoramento, definição de ações e contrataques etc).

E há uma fase, em meio a todo este processo, que é de suma importância: a atualização. Um bom fornecedor de segurança da informação conhecerá seu ambiente e o manterá constantemente monitorado, fazendo as indicações e procedimentos corretos em relação a atualizações necessárias nos sistemas utilizados.

Se o cibercrime não para de evoluir, sua base de cibersecurity e conformidade também não pode parar.

 

O ideal, em tudo isso, é pensar o seu parceiro de segurança da informação como um colaborador direto, um pilar a mais na sua estratégia de negócio. O terceirizado de cibersegurança NÃO É um fornecedor de software, nem de serviços, nem de suporte, nem de gestão: é a soma de tudo isso.

E agora que você já conhece os principais pontos para escolher um fornecedor terceiro para sua estratégia de LGPD, que tal entender um pouco mais sobre um dos momentos mais críticos para qualquer ambiente de segurança: a implementação? Pois este será o tema de nosso post na próxima semana. Fique ligado!

, , , , , , , , ,
WhatsApp chat